Salada especial: beterraba assada, rúcula, lascas de amêndoa e pera

Verão está aí e você sente aquela vontade de comer salada. Mas está cansado de comer a tradicional alface + tomate + azeite? Pois aqui você descobre que salada pode ir muito além do básico.

Quem ainda não leu, fiz um post contando tudo que sei e aprendi sobre saladas. Uma vez que você aprende a misturar molhos, você pode fazer salada até de ovos que vai ser sucesso. Releia o post aqui.

Pois bem, uma das minhas combinações preferidas é essa salada de beterraba assada, rúcula, pera e lascas de amêndoas. A beterraba fica desmanchando e com um sabor diferente quando assada, e combina muito bem com o azedo da rúcula, o docinho da pera e o croc croc da amêndoa. Ah, e o azeite fica aromatizado quando a gente frita amêndoa nele. 😍

Pode ser uma entrada e tanto pra impressionar aquele almoço ein?!

Detalhe: essa receita pede um tempinho de preparo pros sabores apurarem e ficar melhor ainda! Então se apronte pra fazer horas antes de servir.

Salada de beterraba assada, rúcula, pera e lascas de amêndoa

Rende 4 porções

Ingredientes

Três beterrabas grandes

Uma pera

Um maço de rúcula

Uma xícara de lascas de amêndoa

9 colheres (sopa) de azeite

3 colheres (sopa) de vinagre de vinho tinto

Sal e pimenta a gosto

Modo de preparo

  1. Preaqueça o forno a 180 graus. Numa assadeira, cubra o fundo com papel alumínio deixando as pontas sobrarem para você embrulhar as beterrabas no papel. Antes de fechar, faça furos com um garfo nas beterrabas.
  2. Coloque para assar por uma hora, até que fiquem macias ao toque do garfo.
  3. Enquanto isso, lave e seque as folhas de rúcula. Reserve.
  4. Coloque o azeite em uma frigideira e leve para aquecer. Acrescente as lascas de amêndoas e deixei fritar um pouco – elas devem ficar ligeiramente mais amarelas, mas não escuras. Retire-as com a escumadeira e coloque sobre um prato com papel toalha. Coloque sal e reserve.
  5. Com o azeite que ficou na frigideira você prepara o molho para a salada. Ele ficará com o sabor da amêndoa. Numa tigela com o azeite, acrescente o vinagre, o sal e a pimenta e bata até incorporar tudo.
  6. Quando a beterraba estiver assada e já fria, fatie-a e num bowl coloque o molho e deixe na geladeira por meia hora.
  7. Fatie a pera antes de montar.
  8. Monte a salada com as beterrabas fatiadas e temperadas por baixo, as rúculas por cima juntamente com as amêndoas e a pera fatiada.
Anúncios

Sopa fria Vichyssoise

Algumas sopas estão entre meus pratos preferidos. No inverno, eu praticamente tomo todo dia. Mas e no verão? Sopa fria também existe, gente! E essa vichyssoise está entre minhas prediletas. É uma sopa criada por um chef francês da região de Vichy na França, e é feita à base de alho poró, batata, caldo de galinha e creme de leite. É sabor que não acaba mais! É fácil de fazer. Da pra servir de entrada em xícaras, ou de prato principal, com uns croutons por cima! Hummm

Sopa vichyssoise

Ingredientes

Três unidades de alho poró picadas finamente (só a parte branca)

Três batatas em cubos

1,5 litro de caldo de frango (receita aqui!)

Duas colheres de manteiga sem sal

Um sachet d’epice (como fazer aqui 😉

180 ml de creme de leite fresco

Sal e pimenta a gosto

Um punhado de salsinha pra finalizar

Modo de preparo

  1. Numa panela grande, coloque a manteiga e refogue o alho poró até ele ficar transparente.
  2. Acrescente a batata em cubos e mexa bem.
  3. Coloque o caldo de frango e deixei ferver.
  4. Ao ferver, acrescente o sachet e ferva até que os ingredientes fiquem macios.
  5. Coe a parte sólida e coloque-a no liquidificador. Bata, incorporando o líquido aos poucos até ter a consistência de um creme leve.
  6. Volte pra panela e acrescente o creme de leite, incorpore bem. Ajuste sal e pimenta.
  7. Desligue o fogo e deixe esfriar. Depois coloque na geladeira até a hora de servjr. Se quiser apressar pra servir coloque algumas pedras de gelo.
  8. Acrescente a salsinha antes de servir.

Quiche de abobrinha com queijo gruyère

Amo torta salgada e sempre tenho alguma coisa na geladeira que pode render uma. Mas quiche… Quiche é aquele coringa que deixa você com pinta de chef. Mais que a torta salgada, ela é estrela e impressiona (apesar de ser meio que uma torta de omelete…). Mas é só pinta, porque é fácil de fazer (ok, as visitas não precisam saber disso!).

A massa é sempre a mesma e o creme também. O recheio? Dá pra você criar à vontade. Só lembre-se de que o recheio escolhido vai pra massa já cozido e refogado, bele?

Essa de abobrinha com gruyère é super suave. Se quiser algo mais marcante, faça a Lorraine (com bacon e queijo). Se desejar mais leve, usa queijo branco.

Quiche de abobrinha com gruyère

Para a massa:

250g de farinha de trigo

125g de manteiga gelada picada em pedacinhos

1 gema

60ml de água gelada

01 pitada de sal

Para o creme e recheio

250 ml de creme de leite fresco

250 ml de leite integral

3 ovos

3 gemas

Sal e pimenta do reino quanto baste

Noz moscada quanto baste

Duas abobrinhas médias picadas em cubos médios, refogadas na cebola e temporadas a gosto

150g de queijo gruyère ralado

Modo de preparo:

  1. Faça um monte com a farinha de trigo em um bowl. No centro coloque a manteiga gelada em pedaços, a gema, a água e o sal. Misture com a ponta dos dedos, até obter uma massa homogênea.
  2. Envolva a massa em plástico filme e leve-a a geladeira por 30 minutos.
  3. Preaqueça o forno a 180 graus.
  4. Enquanto isso, misture os ingredientes para o creme e reserve.
  5. Pique e refogue a abobrinha na cebola e tempere a gosto. Reserve.
  6. Rale o queijo. Reserve.
  7. Abra a massa numa forma com fundo falso (de 20 a 25 cm de diâmetro) com aro untado. Forre o fundo e as laterais. Leve ao forno para pré-assar por 15 minutos.
  8. Quando estiver pre-assada, coloque o recheio de abobrinha sobre a massa e por cima o queijo ralado. Por cima de tudo coloque o creme. Dê uma batidinha na forma pro creme se espalhar por igual entre o recheio.
  9. Leve para assar até que o creme esteja firme. No meu forno com a minha forma geralmente leva uns 35 ou 40 minutos. O segredo é ficar de olho no creme. Se você balançar a forma e ele não se mexer já está pronto.

Caponata de família

Eu tenho loucura por berinjela e casei com uma pessoa que também adora! Então, um passeio por qualquer feira, hortifruti e mercado sempre nos garante algumas unidades de berinjela pra semana. Juro, chego quase a enjoar! Mas isso me ajuda a pensar em diferentes preparos com o ingrediente.  🙂

Na lista dos meus preferidos está essa Caponata que minha mãe faz desde sempre e que eu andei adaptando um pouco. Dá pra servir como salada, como acompanhamento, como aperitivo com paezinhos! Mil e uma utilidades como qualquer preparo usando essa queridinha!

Caponata

Rendimento: 8 porções de salada

Ingredientes:

1/2 xícara de azeite de oliva extravirgem

1 pimentão vermelho sem semente cortado em cubista

1 pimentão amarelo sem semente cortado em cubos

2 cebolas grandes cortadas em cubos

2 berinjelas grandes cortadas em cubos

1/2 xícara de vinagre de vinho branco

1 colher (chá) de sal

100g de lascas de amêndoa

Pimenta do reino a gosto

Modo de preparo:

  1. Numa panela grande, aqueça o azeite e frite as lascas de amêndoa. Assim que elas começarem a escurecer, retire as lascas com uma escumadeira e reserve.
  2. Na sequência, frite os legumes por ordem de firmeza: pimentões, cebola e berinjela.
  3. Quando os primeiros ingredientes estiverem al dente, junte o vinagre, o sal e a pimenta.
  4. Tampe e cozinhe em fogo baixo por 15 minutos.
  5. Deixe esfriar e, na hora de servir, coloque as lascas de amêndoas.

Anote aí algumas dicas preciosas pra essa receita:

  • Cuidados na hora de escolher a berinjela. Ela deve estar com a casca firme e ATENÇÃO: não pode ter furinhos. Se tiver, descarte, corra, chame o bombeiro! Você vai encontrar um bichinho morando lá dentro e, acredite, você não vai querer isso!
  • Além de berinjela, essa receita leva pimentões também. E aqui vale uma dica bacana que é: lembre-se de que cada legume tem o seu tempo próprio de cozimento. Assim, o ingrediente mais duro deve ir pra panela primeiro, seguido do mais sensível. Assim cada um cozinha o tanto certo e chegam no ponto juntos!
  • Os pimentões ficam ainda melhores se entrarem na receita sem pele. Isso tira aquela lembrança que o pimentão deixa em nossos estômagos! Para retirar a pele, queime a casca na boca do fogão ou coloque-os no forno em altíssima temperatura (perto de 300 graus) até ficarem com a pele queimada. Na sequência, coloque o pimentão com a pele queimada em um saco plástico e feche. Espere amornar e, sob a água corrente, retire a pele com as costas de uma faca.

Em tempo: serve de salada, mas fica maravilhoso como entradinha, com torradas ou pão italiano. 😉

Compota agridoce de cebola, o xodó do happy hour

O final de semana prolongado está aí e, se vai ficar em casa ou viajar pra casa da praia, da mãe ou da vó, vale planejar o que vai ter pra comer. Como não amar?!

Lá em casa tem gente toda hora. Amigos e família estão sempre por lá, não só porque a gente adora, mas porque eu aproveito para fazer todo mundo de cobaia em volta da mesa de jantar. Vi uma carne que eu quero testar? Chama o povo e liga o forno! Tem um forno de pizza que eu nunca mexi? Reúne todo mundo e a mão na massa é por minha conta! Alguém tem uma panela de barro nunca antes usada? Moqueca nela! Há riscos, claro, porque sempre pode dar alguma coisa errada. Mas até hoje ninguém reclamou! 🙂

Bom, seja churrasco, massa ou assado, incluo sempre umas entradinhas para ir abrindo o apetite da galera enquanto estou finalizando os pratos. E, com isso, meu repertório de appetizers cresce a cada dia.

E não venha dizer que dá trabalho, que é mais prático comprar uns salgadinhos, amendoins e afins. Eu gosto de salgadinhos vez ou outra, claro! Mas eles não substituem uma entradinha deliciosa que você pensou e fez especialmente. Além do que, é só escolher uma entradinha rápida e pronto! Resolvida a questão do sabor + praticidade.

Uma das minhas entradinhas preferidas é pá-pum de fazer e fica dos deuses. É a compota agridoce de cebola, receita que aprendi na escola WK. É rápido de preparar e fica digno de chef! Tenho uma amiga, a Amandinha @wheniwascruel, que faz QUALQUER COISA por essa cebolinha! Então, já que o final de semana está aí, e ela está no inferno astral, resolvi preparar esse post de presente para ela. Anota aí, menina! 😉

Ah, se você fizer e gostar, pode usá-la como acompanhamento para uma carne, um rosbife, um peixe. Hummm…

Compota agridoce de cebola

(Receita do curso Objetivo Chef, escola Wilma Kovesi)

Ingredientes

4 cebolas médias cortadas em rodelas finas

½ xícara de açúcar

100g de manteiga

1 colher (chá) de sal

1 pitada de pimenta do reino moída na hora

½ xícara de vinho tinto seco de boa qualidade

¼ xícara de vinagre de vinho tinto

Preparo

  1. Numa panela de fundo largo, derreta a manteiga (derreta devagar, tirando a panela de vez em quando da boca do fogão pra manteiga não queimar) e nela coloque a cebola até murchar, juntamente com o sal, a pimenta do reino e o açúcar. Mexa ocasionalmente durante cerca de 20 minutos ou até as cebolas estarem cozidas.
  2. Junte o vinho e o vinagre, deixe levantar fervura e cozinhe em fogo médio, sem tampar, mexendo de vez em quando por cerca de 20 minutos, até o líquido reduzir um pouco.
  3. Aumente a chama e engrosse a compota.
  4. Sirva morna ou fria com pãezinhos ou torradas.

IMG_6294

IMG_7218