Quiche de abobrinha com queijo gruyère

Amo torta salgada e sempre tenho alguma coisa na geladeira que pode render uma. Mas quiche… Quiche é aquele coringa que deixa você com pinta de chef. Mais que a torta salgada, ela é estrela e impressiona (apesar de ser meio que uma torta de omelete…). Mas é só pinta, porque é fácil de fazer (ok, as visitas não precisam saber disso!).

A massa é sempre a mesma e o creme também. O recheio? Dá pra você criar à vontade. Só lembre-se de que o recheio escolhido vai pra massa já cozido e refogado, bele?

Essa de abobrinha com gruyère é super suave. Se quiser algo mais marcante, faça a Lorraine (com bacon e queijo). Se desejar mais leve, usa queijo branco.

Quiche de abobrinha com gruyère

Para a massa:

250g de farinha de trigo

125g de manteiga gelada picada em pedacinhos

1 gema

60ml de água gelada

01 pitada de sal

Para o creme e recheio

250 ml de creme de leite fresco

250 ml de leite integral

3 ovos

3 gemas

Sal e pimenta do reino quanto baste

Noz moscada quanto baste

Duas abobrinhas médias picadas em cubos médios, refogadas na cebola e temporadas a gosto

150g de queijo gruyère ralado

Modo de preparo:

  1. Faça um monte com a farinha de trigo em um bowl. No centro coloque a manteiga gelada em pedaços, a gema, a água e o sal. Misture com a ponta dos dedos, até obter uma massa homogênea.
  2. Envolva a massa em plástico filme e leve-a a geladeira por 30 minutos.
  3. Preaqueça o forno a 180 graus.
  4. Enquanto isso, misture os ingredientes para o creme e reserve.
  5. Pique e refogue a abobrinha na cebola e tempere a gosto. Reserve.
  6. Rale o queijo. Reserve.
  7. Abra a massa numa forma com fundo falso (de 20 a 25 cm de diâmetro) com aro untado. Forre o fundo e as laterais. Leve ao forno para pré-assar por 15 minutos.
  8. Quando estiver pre-assada, coloque o recheio de abobrinha sobre a massa e por cima o queijo ralado. Por cima de tudo coloque o creme. Dê uma batidinha na forma pro creme se espalhar por igual entre o recheio.
  9. Leve para assar até que o creme esteja firme. No meu forno com a minha forma geralmente leva uns 35 ou 40 minutos. O segredo é ficar de olho no creme. Se você balançar a forma e ele não se mexer já está pronto.

Anúncios

Caponata de família

Eu tenho loucura por berinjela e casei com uma pessoa que também adora! Então, um passeio por qualquer feira, hortifruti e mercado sempre nos garante algumas unidades de berinjela pra semana. Juro, chego quase a enjoar! Mas isso me ajuda a pensar em diferentes preparos com o ingrediente.  🙂

Na lista dos meus preferidos está essa Caponata que minha mãe faz desde sempre e que eu andei adaptando um pouco. Dá pra servir como salada, como acompanhamento, como aperitivo com paezinhos! Mil e uma utilidades como qualquer preparo usando essa queridinha!

Caponata

Rendimento: 8 porções de salada

Ingredientes:

1/2 xícara de azeite de oliva extravirgem

1 pimentão vermelho sem semente cortado em cubista

1 pimentão amarelo sem semente cortado em cubos

2 cebolas grandes cortadas em cubos

2 berinjelas grandes cortadas em cubos

1/2 xícara de vinagre de vinho branco

1 colher (chá) de sal

100g de lascas de amêndoa

Pimenta do reino a gosto

Modo de preparo:

  1. Numa panela grande, aqueça o azeite e frite as lascas de amêndoa. Assim que elas começarem a escurecer, retire as lascas com uma escumadeira e reserve.
  2. Na sequência, frite os legumes por ordem de firmeza: pimentões, cebola e berinjela.
  3. Quando os primeiros ingredientes estiverem al dente, junte o vinagre, o sal e a pimenta.
  4. Tampe e cozinhe em fogo baixo por 15 minutos.
  5. Deixe esfriar e, na hora de servir, coloque as lascas de amêndoas.

Anote aí algumas dicas preciosas pra essa receita:

  • Cuidados na hora de escolher a berinjela. Ela deve estar com a casca firme e ATENÇÃO: não pode ter furinhos. Se tiver, descarte, corra, chame o bombeiro! Você vai encontrar um bichinho morando lá dentro e, acredite, você não vai querer isso!
  • Além de berinjela, essa receita leva pimentões também. E aqui vale uma dica bacana que é: lembre-se de que cada legume tem o seu tempo próprio de cozimento. Assim, o ingrediente mais duro deve ir pra panela primeiro, seguido do mais sensível. Assim cada um cozinha o tanto certo e chegam no ponto juntos!
  • Os pimentões ficam ainda melhores se entrarem na receita sem pele. Isso tira aquela lembrança que o pimentão deixa em nossos estômagos! Para retirar a pele, queime a casca na boca do fogão ou coloque-os no forno em altíssima temperatura (perto de 300 graus) até ficarem com a pele queimada. Na sequência, coloque o pimentão com a pele queimada em um saco plástico e feche. Espere amornar e, sob a água corrente, retire a pele com as costas de uma faca.

Em tempo: serve de salada, mas fica maravilhoso como entradinha, com torradas ou pão italiano. 😉

Voilà, crêpe francês

Eu adoro comida fácil e rápida de fazer. Afinal, não é todo dia que eu tenho tempo de fazer preparos longos e com um mega mise en place. Sem contar que, durante a semana, estou tentando fazer só coisas mais leves, porque eu e maridón estamos na dieta! Só que sou do time de quem acredita que dieta não é só comer salada. Ou seja, se vou comer menos e mais light, que sejam receitas saborosas, ao menos!

É aí que entra este crepe. É uma receita tradicionalíssima na França, onde se come no parque ou em qualquer lugar, recheado sobretudo com nutella. Não é a mesma coisa que panqueca; a diferença é sutil e se deve à manteiga que vai no crepe e deixa a textura da massa mais aerada. O tcharan da coisa é que a massa é bem neutra, o que te deixa mil e uma possibilidades de recheios: carnes, legumes, queijos, doce de leite, geleia e por aí vamos. No meu caso, escolhi fazer um recheio mais leve pra compensar a manteiga da massa. Saca só que facinha essa receita!

Crepe francês de ricota e espinafre (Rendimento: 2 porções)

Ingredientes para a massa

125g de farinha
2 ovos
250ml de leite integral
1 colher de chá de açúcar
1 pitada de sal
25g de manteiga
1 colher de sopa de rum ou água de flor de laranjeira (opcional)

Ingredientes para o recheio

150g de ricota despedaçada
100g de espinafre branqueado ou descongelado
1/2 cebola picada em cubinhos pequenos
1 colher de azeite
Sal e pimenta a gosto

Modo de preparo

  1. Comece pela massa pelo menos  uma hora antes de servir os crepes. Numa panela, esquente um pouco o leite (só o suficiente para derreter a manteiga). Retire do fogo, acrescente a manteiga, misture e reserve.
  2. Numa vasilha, coloque a farinha, os ovos, o açúcar, o sal e um pouco do leite e misture tudo com um batedor. Vá, aos poucos, acrescentando o restante do leite, misturando até obter uma massa lisa e meio líquida. Se ficarem grumos, passe a massa por uma peneira.
  3. Acrescente o rum ou água de flor de laranjeira e mexa para incorporar (opcional).
  4. Cubra a vasilha com um filme e leve à geladeira para a massa descansar.
  5. Enquanto a massa descansa, prepare o recheio. Refogue a cebola no azeite e acrescente o espinafre já branqueado (se você tem as folhas frescas, separe-as dos talos e jogue-as por 3 minutos numa panela de água fervente. A ideia é deixar as folhas mais verdinhas). Se você tiver o espinafre congelado, tire-o do congelador um pouco antes. Tempere com sal e pimenta a gosto.
  6. Acrescente a ricota já despedaçada e misture bem. Prove a mistura e ajuste os temperos, se necessário.
  7. Depois de uma hora do descanso da massa, aqueça uma chapa ou frigideira antiaderente. Deixe esquentar bem e passe manteiga com um pincel. Coloque meia concha de massa e espalhe o líquido com uma espátula.
  8. Deixe dourar o disco de um lado, depois descole-o com a espátula e vire o crepe. Você pode preparar todos os discos e depois ir recheando e servindo.
  9. Com o crepe pronto dos dois lados, acrescente duas ou três colheres do recheio e dobre o crepe ao meio. Deixe dourar bem e sirva com uma bela salada de folhas! Se preferir, pode jogar um molho branco ou de tomate por cima. Voilà!

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Compota agridoce de cebola, o xodó do happy hour

O final de semana prolongado está aí e, se vai ficar em casa ou viajar pra casa da praia, da mãe ou da vó, vale planejar o que vai ter pra comer. Como não amar?!

Lá em casa tem gente toda hora. Amigos e família estão sempre por lá, não só porque a gente adora, mas porque eu aproveito para fazer todo mundo de cobaia em volta da mesa de jantar. Vi uma carne que eu quero testar? Chama o povo e liga o forno! Tem um forno de pizza que eu nunca mexi? Reúne todo mundo e a mão na massa é por minha conta! Alguém tem uma panela de barro nunca antes usada? Moqueca nela! Há riscos, claro, porque sempre pode dar alguma coisa errada. Mas até hoje ninguém reclamou! 🙂

Bom, seja churrasco, massa ou assado, incluo sempre umas entradinhas para ir abrindo o apetite da galera enquanto estou finalizando os pratos. E, com isso, meu repertório de appetizers cresce a cada dia.

E não venha dizer que dá trabalho, que é mais prático comprar uns salgadinhos, amendoins e afins. Eu gosto de salgadinhos vez ou outra, claro! Mas eles não substituem uma entradinha deliciosa que você pensou e fez especialmente. Além do que, é só escolher uma entradinha rápida e pronto! Resolvida a questão do sabor + praticidade.

Uma das minhas entradinhas preferidas é pá-pum de fazer e fica dos deuses. É a compota agridoce de cebola, receita que aprendi na escola WK. É rápido de preparar e fica digno de chef! Tenho uma amiga, a Amandinha @wheniwascruel, que faz QUALQUER COISA por essa cebolinha! Então, já que o final de semana está aí, e ela está no inferno astral, resolvi preparar esse post de presente para ela. Anota aí, menina! 😉

Ah, se você fizer e gostar, pode usá-la como acompanhamento para uma carne, um rosbife, um peixe. Hummm…

Compota agridoce de cebola

(Receita do curso Objetivo Chef, escola Wilma Kovesi)

Ingredientes

4 cebolas médias cortadas em rodelas finas

½ xícara de açúcar

100g de manteiga

1 colher (chá) de sal

1 pitada de pimenta do reino moída na hora

½ xícara de vinho tinto seco de boa qualidade

¼ xícara de vinagre de vinho tinto

Preparo

  1. Numa panela de fundo largo, derreta a manteiga (derreta devagar, tirando a panela de vez em quando da boca do fogão pra manteiga não queimar) e nela coloque a cebola até murchar, juntamente com o sal, a pimenta do reino e o açúcar. Mexa ocasionalmente durante cerca de 20 minutos ou até as cebolas estarem cozidas.
  2. Junte o vinho e o vinagre, deixe levantar fervura e cozinhe em fogo médio, sem tampar, mexendo de vez em quando por cerca de 20 minutos, até o líquido reduzir um pouco.
  3. Aumente a chama e engrosse a compota.
  4. Sirva morna ou fria com pãezinhos ou torradas.

IMG_6294

IMG_7218